Pense bem antes de alisar seus cabelos com escovas químicas


Pense bem antes de alisar seus cabelos com escovas químicas

Todo mundo sabe que mulheres são extremamente vaidosas com seus cabelos. Não é a toa que o Brasil está no terceiro lugar entre os países que mais faturam com produtos cosméticos e de beleza e, mantém a liderança nas subcategorias; coloração, condicionadores e alisamentos.  As brasileiras são as mulheres que mais gastam tempo e dinheiro com cabelo no mundo.





Diante da grande demanda e do gosto das brasileiras pelos cabelos lisos, surge à escova progressiva
As famosas escovas progressivas caíram no gosto das brasileiras. As escovas progressivas ou alisantes, inicialmente usavam como princípio ativo o formaldeído. Não demorou para que produtos contendo formaldeído fossem proibidos pela ANVISA, depois de apresentar reações alérgicas graves, perda de cabelo, erupções cutâneas, nas mulheres que optavam alisar seus cabelos usando esse produto.  

O formaldeído também é muito perigoso para os profissionais que aplicam o produto. É especialmente perigoso quando ele volta ao seu estado natural, um gás, e é inalado. Comprometendo também a saúde dos profissionais dos salões de beleza.

A obsessão da brasileira pelos cabelos lisos fez com que a indústria cosmética rapidamente reformulasse seus produtos. Surge então uma infinidade de produtos: escova marroquina, escova sem formol, escova de queratina, escova japonesa. Todos os tipos de escovas que você pode imaginar, alegando de não causar nenhum malefício a saúde.

Essas informações geram uma importante pergunta.
Esses produtos são seguros?

Sinceramente, usar substâncias químicas industrializadas que alisam, que mudam a estrutura química normal do seu cabelo, não me parece nada seguro mesmo quando se opta por produtos livres de formol.

O Food and Drugs Admnistration (FDA) - órgão americano equivalente à ANVISA, alertou que a substância formol foi detectada até em produtos que indicavam nos rótulos a inexistência de formaldeído.

Por isso Desconfiem de propagandas como essa: “ESCOVA DEFINITIVA SEM FORMOL, SEM AMÔNIA”.
Com essa dúvida em mente, fui pesquisar no EWG (Environmental Working Group), um tipo de ONG que pesquisa e conscientiza o consumidor sobre suas escolhas e as conseqüências para sua saúde e o meio ambiente.

Encontrei um resumo das principais substâncias usadas com o objetivo de alisar os fios, suas características, riscos e segurança ao uso. Listo abaixo algumas delas com informações que você precisa saber antes de pensar em alisar seus cabelos.
Derivados de formaldeído
Muitos aldeídos considerados alternativos apresentam reações negativas à saúde semelhantes aos de formaldeído como resposta alérgica, irritação e danos celulares.
Um deles é o glutaral aldeído. Essa substância é tão tóxica que costuma ser usada para esterilizar instrumentos médicos. Nos salões, o glutaral é aquecido pelo uso da chapinha, exalando um gás com efeitos idênticos ao formaldeído.

Também é comum acharmos propagandas com escovas “livres de aldeídos” mas isso não significa que o composto usado para alisar os fios seja menos agressivo para  sua saúde.
Essas fórmulas podem esconder substâncias como o Ácido glioxilico. Os fabricantes desses produtos indicam sempre o uso do calor (chapinha) para melhor fixação. É nesse momento que o calor transforma o ácido glioxilico em formaldeído, com direito a todas as reações alérgicas e riscos a saúde.
Relaxantes a base de hidróxido de sódio também são usados há muitos anos mas estão longe de serem considerados seguros. Podem causar queimaduras graves na pele e irritação de nariz, garganta e vias respiratórias, e podem danificar os olhos . Esse tipo de substância altera a estrutura dos fios e causam danos irreversíveis.
Na tentativa de amenizar os efeitos do hidróxido de sódio algumas empresas passaram a usar em suas formulações o hidróxido de potássio ou hidróxido de guanidina. (que é gerada pela mistura de hidróxido de cálcio e carbonato de guanidina). Essa substância pode parecer menos cáustica mas causa os mesmos danos à saúde.

A escova japonesa também ficou muito famosa e fez com que muitas mulheres corressem para o salão, na esperança de ostentar lindos cabelos lisos, assim como os das orientais.  A substância normalmente usada nesse produto, é o tioglicolato de amônio. Depois surgiram outras “escovas alisadoras” contendo a mesma substância. Alguns estudos mostraram que a substância também causa reações alérgicas e danos ao cabelo. Sinceramente não acho que você deveria arriscar.

Poderia ficar horas e entender esse texto há muitas e muitas páginas, apenas falando sobre os alisadores e as opções disponíveis do mercado. Identificar esses produtos nos rótulos dos produtos não basta para usar algo seguro a sua saúde.


A verdade é que dificilmente um alisador potente será totalmente seguro a saúde. Uma substância capaz de alterar a estrutura química do seu cabelo, não me parece nada “natural” e seguro. Tanto é que dificilmente vai encontrar algum óleo vegetal, tintura vegetal ou produto natural que alise fortemente seus fios. Acho que a velha e boa escova feita no secador, ainda é a melhor opção para quem quer ficar com os fios lisinhos.

Por isso sinceramente, acho que poderíamos ao invés de discutir qual escova alisadora é menos nociva, podemos sim repensar nossos objetivos.

Repensar nossa beleza. Assumir nossos fios naturais. Isso não significa deixá-los mal tratados, secos e rebeldes. Hoje temos tantas opções naturais e saudáveis que podem deixar nosso cabelo lindo e nossa saúde em dia.


Por isso, não coloque sua saúde em risco. Repense suas escolhas. 



Abraços
Aline C Vieira 



Copyright © 2014 Inspire-se